quinta-feira, 18 de outubro de 2012

LJUBLJANA

LJUBLJANA

Sexta-feira tranquila essa. A expectativa era grande em chegar a Ljubljana, a capital da Eslovênia. De lá conheceríamos lugares incríveis, como o lago da cidade de Bled, com uma ilha fantástica e um castelo cheio de histórias. Depois de programarmos nossa viagem, vimos um programa de televisão, que mostrava esses lugares, então a expectativa era grande.
Havíamos feito uma revisão do percurso na noite anterior, e não houve surpresas. Num certo trecho pegamos uma estrada maior, que não estava no nosso roteiro, mas seguia a mesma direção, então mantivemos a sequencia. Isso nos permitiu passar por Gorenje Kamence, Mirna Pec, Trebnje e Veliki Gaber. Na região desse último lugar, visitamos um monumento em homenagem aos valentes defensores da pátria, na guerra civil, originada da declaração de separação do país da opressão ditatorial da Iugoslávia. Isso aconteceu em 1990, e em 1991 declarou sua independência. Ali, naquele local, marcou um grande momento da resistência às tropas federais.
A Eslovênia foi o primeiro país da ex-Iugoslávia, a entrar para a Comunidade Europeia em 2004, o próximo, como disse antes, será a Croácia. Em primeiro de janeiro de 2007 passou a adotar o Euro como moeda, substituindo o antigo “tolar”.
Depois de V. Gaber, passamos por Radohova Vaz, Ivancna Gorica, Visnja Gora, Grosuplje, Skoflica, Lavrica e, finalmente, Ljubljana. Chegamos fácil até o Hostel, que também era Hotel. Por uma pequena diferença de preço, e com café da manhã, resolvemos ficar na parte que era Hotel. A poucas quadras do centro, foi tranquilo partir para explorar a cidade. Porém, a noite estava chuvosa, fria, então preferimos apenas tirar algumas fotos, comer alguma coisa, e deixar o dia seguinte inteiro para passear. Nossa programação na cidade incluía um passeio no domingo, com uma empresa de turismo, que chamam “Eslovênia em um dia”.
“Batemos o pé”, como dizem, e no sábado rodamos a pequena e charmosa Ljubljana. Primeiro subimos o morro até o Castelo; depois descemos à parte histórica, procurando todos os espaços turísticos mais conhecidos, tudo isso com uma garoa enjoada. Nem o mau tempo fez tirar a beleza da cidade.
O Castelo foi erguido há centenas de anos, e já na ocupação celta, no século IV a.C., já existia vestígio de ocupar o morro para proteção. Até a lenda de um dragão que viveu por lá no ano 1144, é passada a todos os visitantes. Talvez tenha sido morto por São Jorge... A Eslovênia já fez parte de vários impérios, como o Romano, Bizantino, Áustro-Húngaro, e mais atualmente, digamos, foi Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos, que virou Reino da Iugoslávia e, finalmente, República Socialista Federativa da Iugoslávia, isso entre 1945 e 1991. Lembrando que os Habsburgo também andaram por lá. Aliás, mantiveram castelos em quase toda a região que passamos nessa viagem, e a mais significativa, é claro, foi em Viena.
O domingo chegou e, pontualmente às 08h10, como combinado, a Van do turismo chegou ao local indicado pelo atendente do nosso Hotel. Era conduzida pela jovem, bonita e simpática guia Ivana, que no caminho até Bled, foi nos trazendo preciosas informações sobre a região e contando as histórias. Ela falava bem o inglês, com sotaque esloveno; junto conosco estava um casal de americanos. Primeira pergunta que fiz a ela, foi se ela havia convidado o sol, porque estava uma neblina úmida forte, e ela gentilmente falou que faria o possível.
Em seguida, poucos quilômetros rodados, ela falava sobre as montanhas ao largo, inclusive uma em especial, o monte Triglave, com mais de 2800 metros de altitude, que faz parte dos Alpes Julianos, e como num passe de mágica, as nuvens se abriram, e lá estavam eles: o Sol e a Montanha; que beleza! Ficamos todos felizes, porque o local que iríamos conhecer a seguir, fazia jus a um dia bonito.
Perto de 70 km a Noroeste de Ljubljana, chegamos ao lugar mágico. Um lago perene, de águas tranquilas e de um verde esmeralda maravilhoso. Ao centro a pequena e bela ilha de Bled, a única ilha natural da Eslovênia, e dizem alguns, a mais bonita do mundo... Na ilha, uma igreja de Maria. Para chegar até ela é preciso seguir com um barco típico da região, o “pletna”, conduzido a remos por homens que transmitem a tradição de geração em geração. O nosso era conduzido pelo Janes, o John em inglês, ou o João mesmo, em bom português; o retorno foi feito por seu jovem filho. Reparando nas mãos do “João”, vimos grandes calos nas juntas, provavelmente resultado de anos e anos fazendo aquelas remadas até a ilha.
Diz a lenda que é preciso badalar o sino da igreja por três vezes, que seu pedido será realizado. Essa história vem da jovem senhora viúva, dona do fabuloso Castelo de Bled, que existe à margem da lagoa, também visitado por nós, e que oferece uma espetacular vista da igrejinha. Ela perdeu seu marido por bandidos, ficando ela muito inconsolável, resolvendo se desfazer de todos os seus bens, principalmente ouro e prata. Mandou fundir um sino para a capela da igreja do lago de Bled. Durante o transporte, aconteceu uma forte tempestade, que afundou o barco, junto com tudo que ele levava, inclusive os remos e o sino, muito importante para ela. Assim, desesperada, foi a Roma e entrou para um Convento. Depois de sua morte, o Papa da época doou um sino novamente à Capela de Bled. Então, desde aquela época, ficou certo que aquele que badalasse o sino faria homenagem à virgem de Bled e seu desejo seria realizado.
Fizemos lindas fotos do lugar, mas acredito que somente com seus próprios olhos terá uma imagem real daquilo tudo. Esse lugar existe sim, e fica em Bled, na Eslovênia.
Como o próximo destino ficava ao sul de Ljubljana, e tinha que passar por lá, a Ivana nos deixou num restaurante de um Hotel na entrada da cidade, e foi buscar outras pessoas que fariam apenas o passeio da tarde: a cidade de Postojna, onde existem duas atrações.
Primeiro fomos ao “Predjama Castle”. Um castelo do século XII, encravado numa caverna, simplesmente maravilhoso! Conta também a lenda, misturada com história, que o cavaleiro Erasmo, chamado o “rei de Predjama”, morador do castelo no século XV, roubava dos ricos para dar aos pobres; o “Robin Wood” da Eslovênia. Guardava as coisas e se escondia no castelo, aproveitando as características da caverna, cheia de trincheiras, e que tinha uma privilegiada visão de todo o vale a sua frente. Ele teria passado para o “lado negro”, depois de ver seu amigo ser morto pelo Imperador, revoltando-se contra o governo. Erasmo teria sido traído por um de seus empregados, e morto. Em 1570 o Castelo pertenceu a Ivan Kobenzi, que o deixou no formato atual. Mudou de mãos por diversas vezes ao longo do tempo, e hoje pertence ao governo, que promove apenas o turismo. Como na era medieval, um espetáculo é realizado na região todo ano, por cavaleiros e suas armaduras, numa festa emocionante e acompanhada por muitos turistas, no mês de julho.
Por fim, a Caverna de Postojna, que fica pertinho da cidade do mesmo nome. Fantástica, enorme, maravilhosa. Apenas parte dela está para visitação, e são 2 km de bondinho até o local de caminhada, 3 km de caminhada, e mais 2 km para retornar. O passeio dura em torno de uma hora e meia. Salões imensos, iluminados com luz especial para não maltratar as formações de estalactites e estalagmites. Aliás, formações de diferentes cores, dependendo do minério que a compõe. Infelizmente não permitem fotos, apenas em alguns trechos. Há um grande salão de concertos, que em certa época do ano, é aberto apenas para apresentações de música clássica, com centenas de expectadores. Coisa bonita assim, só havia visto até hoje no Abismo Anhumas, em Bonito, Mato Grosso do Sul.

Fotos do caminho até Ljubljana
Tradição das abóboras

Homenagem à resistência

Ídem..

Lenha para aquecer o inverno

A Carmo subindo a ladeira...

Aluguel de bikes. Comum nas principais cidades da Europa


Centro da cidade, final da tarde.



Ídem












Fotos de Ljubljana (sábado)





Fotos de Domingo (Eslovênia em um dia)


Castelo de Bled

Ilha do lago de Bled, e o barco Pletna


O Pletna, que leva até a ilha de Bled

Esse lugar existe...

Nós existimos nesse lugar...


Até a ilha. Mais de 90 degraus para chegar à Igreja

Badalando o sino 3 vezes para realizar seu desejo.











Castelo de Predjama

Visão do alto do castelo incrustrado na caverna

Salão de Concertos da Caverna de Postojna

Ljubjana de noite...

Ídem...

3 comentários:

  1. Tá ruim hein??? por acaso voces vão voltar (prá votar??) HAHAHAHAHA
    Enjoy

    ResponderExcluir